Android: Uma Breve História

O Android é o Sistema Operacional que move mais de um bilhão de smartphones e tablets. Já que esses dispositivos tornam nossas vidas tão doces, cada versão do Android recebe o nome de uma sobremesa.

— Android: Site Oficial

Muitos sabem que o Android é o Sistema responsável pelo gerenciamento de muitos smartphones, tablets e ainda algumas SmartTVs. Mas o que poucos conhecem, é que algumas câmeras digitais e consoles de videogames também utilizam esta plataforma, e isso muitas vezes não parece importante quando comparado aos Sistemas Operacionais (SO) tradicionais para Desktops (GNU/Linux, Windows, MacOS, por exemplo).

Sou Lucas Toloto e este é o meu primeiro artigo aqui no Blog União Geek.

O Android é atualmente a preferência do mercado por ser uma combinação de Software Livre (proprietário ou não) e Compatibilidade com a maioria dos dispositivos móveis. Foi lançado oficialmente em um aparelho no ano de 2008 e, desde então muitos dispositivos móveis estão usando o Android.

Esta plataforma detém cerca de 89,5% do mercado de sistemas para dispositivos móveis. Em 2012, o Google chegou a afirmar que a plataforma Android ganhava nada menos do que um milhão de novos usuários todos os dias!


O Início

Com certeza, não podemos afirmar que o Android foi o primeiro smartphone do mercado, visto que alguns outros aparelhos já possuíam características semelhantes, como acesso a e-mails, navegar na internet, entre outras. Talvez, quem sabe, alguns aparelhos da Nokiaou BlackBerry, já que no começo dos anos 2000, estes possuíam tais características.

Mas o que de fato trouxe notoriedade para esta plataforma, considerado como um diferencial, foi com certeza a “Evolução”.

Esse foi o diferencial trazido por Andy Rubin, que em 2003 fundou, junto a outros grandes nomes, o Android Inc., uma sociedade para o desenvolvimento daquilo que ele próprio definiu como “dispositivos mais conscientes da posição e das preferências do seu proprietário”. (Mattia Mercato)

Rubin e a sua start-up puderam oferecer uma nova tipologia de sistema operacional móvel: Open Source (baseado no Kernel Linux), com uma interface simples, funcional e integrada a uma série de instrumentos, pensada para facilitar a vida dos outros desenvolvedores, mas sobretudo um sistema gratuito para todos que quisessem utilizá-lo.

E foi esta última sacada da Android Inc., que garantiu a compra de sua ideia. Lawrence “Larry” Page, fundador do Google, aventurou-se então nesse novo terreno, consciente de poder diversificar as estratégias da empresa, que até então eram centradas sobretudo nos serviços de busca.

Dois anos após sua criação, em 2005, o Google comprou a companhia e colocou todo seu time para desenvolver uma plataforma móvel baseada em Linux; nascia então o Sistema Operacional “aberto” Android, juntamente com a com o Google Mobile Division, a Divisão de Desenvolvimento de Aplicações e Sistemas Móveis do Google.

O restante da história e sua evolução já é mais conhecida, portanto não vamos entrar com mais datas e acontecimentos desta época. Em vez disso, vamos conhecer um pouco mais sobre suas atualizações, onde cada nova versão representa um passo evolutivo substancial do que é hoje um dos pontos de referência para o mercado dos smartphones.


As Versões

Você deve ter lido logo no início deste artigo, a citação de um trecho do Site Oficial doAndroid:“Cada versão […] recebe o nome de uma sobremesa”. Caso ainda não saibam, as versões recebem o nome de um doce, e a primeira letra desse nome deve seguir a ordem alfabética. (Pode verificar mais detalhes diretamente no Site Oficial, clicando aqui).

A versão Alpha gerou ao menos dois lançamentos internos dentro do Google e da Open Handset Alliance antes de o Android Beta ser lançado oficialmente em novembro de 2007.

Por questão de referência ou apenas por serem fãs da franquia Star Wars, o segundo desses lançamentos foi chamado carinhosamente de “R2-D2”. Embora Dan Morril tenha criado alguns dos primeiros mascotes, mas o atual logotipo verde do Android foi desenhado por Irina Blok. Ryan Gibson concebeu o esquema de nomenclatura que foi usado pelos lançamentos públicos majoritários, iniciando com o Android 1.5 “Cupcake”em Abril de 2009 e apenas em 2011 foi lançado  um versão específica para tablets,Android 3.0 (Honeycomb).

Um ano depois foi lançado o Jelly Bean, que foi uma atualização incremental com o objetivo principal de melhorar a funcionalidade e desempenho da interface do usuário. A melhora de desempenho envolveu “Project Butter” (“Projeto Manteiga”, em tradução livre do inglês), que usa antecipação de toque, buffer triplo, tempo vsync estendido e uma taxa de quadros fixa de 60 fps para criar uma interface de usuário fluida e “suave como manteiga”.


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa ou outra matéria? Colabore, clique aqui.

Fontes

Lucas O Toloto

Analista de Tecnologia da Informação, Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (Estácio) e Pós-graduando em Desenvolvimento de Aplicações Móveis (FCV). Professor, Palestrante e Programador. Desenvolvedor de Aplicativos Móveis para Android. Programador JAVA para Desktop.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + cinco =